Porto é o campeão das insolvências em Portugal

As insolvências em Portugal caíram 14% em 2019, comparativamente ao ano anterior, mas o país apresenta um dos níveis mais elevados da Europa, com os seus 211 pontos. No ano passado, os números apontam para 5.071 insolvências, menos 817 empresas do que em 2018, mas os 211 pontos do país ainda multiplicam por dois os níveis de pré-crise, afirma o relatório da seguradora de crédito, apontando para “uma estagnação”, nos 207 pontos, em 2020, o que significa que “a economia portuguesa manterá níveis mais elevados do que os países vizinhos, à frente de Itália (185), Reino Unido (119), França (109) ou Alemanha (67), mas também dos Estados Unidos (85) e Japão (61). Apenas Espanha, com 541 pontos, supera estes níveis. No mapa nacional, o Porto é o que apresenta valores mais altos (1.228 insolvências), seguido de Lisboa (1.042), mas os dois distritos apresentam quebras de 12,3% e 33%, respectivamente.

Telecomunicações lideram insolvências

Os sectores com agravamento nas insolvências foram as telecomunicações (20%), agricultura e pescas (8,2%) e indústria transformadora (7%). Em sentido contrário, avançou a indústria extractiva (50%), electricidade, gás e água (39,1%), comércio por grosso (22,5%), outros serviços (21,9%) e comércio a retalho (21,7%). Na construção e obras públicas a quebra é de 15,9% e na hotelaria e restauração é de 18,2%. Em termos homólogos, há um aumento de 8,4%, correspondente a 49.193 empresas, mais 3.807 do que em 2018. Lisboa lidera aqui, com 16.691 registos (+5,4%), mas os maiores crescimentos foram na Horta (33,3%), Castelo Branco (23,9%) e Bragança (20%). Já o Porto, com 8.966 constituições, cresceu 9,6%.

Fundo Ambiental executa 387,6 milhões em 2019

O Fundo Ambiental executou quase 388 milhões de euros no conjunto do ano passado. Este valor representa perto de 93% das receitas arrecadadas pelo fundo e é também o maior de sempre em verbas aplicadas em matéria de ambiente. O fundo criado em 2016 para apoiar políticas ambientais reporta uma receita total de 417,6 milhões de euros no ano passado. Deste montante, 387,6 milhões foram canalizados para apoiar políticas ambientais, o equivalente a 92,8% da receita. Este é, segundo o Governo, o maior montante executado, num só ano, em questões ambientais, ainda que a maior taxa de execução, de 94%, tenha sido registada em 2017. Este ano, o Governo prevê que o Fundo Ambiental arrecade 460,7 milhões de euros em receitas, valor que, a confirmar-se, representa um aumento de 9,5% face a 2019.

Eurostat confirma inflação de Dezembro nos 1,3%

A inflação da Zona Euro fixou-se nos 1,3% em Dezembro, em termos homólogos, de acordo com a segunda estimativa publicada pelo Eurostat. Esta é a taxa mais expressiva desde Abril (1,7%). Em Novembro de 2019, a taxa de inflação era de 1% pelo que o número de Dezembro representa uma aceleração. No entanto, é de recordar que um ano antes, em Dezembro de 2018, a taxa de inflação era de 1,5%. Na comparação entre Estados-membros, Portugal figura novamente como o país com a taxa de inflação mais baixa (0,4%), seguido de perto por Itália (0,5%) e o Chipre (0,7%). Já a Hungria é o país com a maior taxa de inflação (4,1%), seguindo-se a Roménia (4%) e a Eslováquia (3,2%).

Portugueses mais do que triplicam gastos em Dezembro com cartões Revolut

Os utilizadores da Revolut em Portugal gastaram cerca de 38 milhões de euros, entre 01 de Dezembro de 2019 e 02 de Janeiro deste ano, mais do triplo do valor no período homólogo. Os cerca de 38 milhões de euros utilizados pelos cartões Revolut em Portugal no período em análise comparam com os 11 milhões gastos no mesmo período do ano anterior. Actualmente, a Revolut tem mais de 400 mil utilizadores em Portugal e mais de 30 mil visitaram vários países neste período. Os portugueses visitaram, maioritariamente, o Reino Unido (11.714), Espanha (6.416) e Estados Unidos (4.989) durante o mês de Dezembro do ano passado. Em quatro anos, a Revolut atraiu mais de nove milhões de utilizadores na Europa e tem já mais de 400 mil utilizadores em Portugal, número que cresce a “um ritmo superior a 1.000 novas contas abertas todos os dias.

856 mil aviões sobrevoaram os céus de Portugal em 2019

Com estes números, a NAV geriu no ano passado mais 2.300 voos por dia, mais cerca de 60 que a média diária em 2018. A NAV, empresa pública responsável pela gestão do tráfego aéreo em Portugal, bateu no ano passado um novo recorde de voos geridos, com um total de 855.994 voos, o que representou um crescimento de 27% face ao ano anterior. Os voos geridos pela RIV de Lisboa incluem todo o tráfego que sobrevoa Portugal Continental e o arquipélago da Madeira, assim como o tráfego gerido pela torres de controlo de Lisboa, Porto, Faro, Cascais, Funchal e Porto Santo”.

Investimento captado em 2019 cai 11,4% para 742ME

O investimento captado através do instrumento dos vistos ‘gold’ caiu 11,4% em 2019, face ao ano anterior, para 742 milhões de euros. Em 2019, o investimento total proveniente de Autorizações de Residência para Actividade de Investimento (ARI) atingiu os 742.455.053,29 euros, o que representa um decréscimo homólogo de 11,4%, segundo contas feitas pela Lusa. Durante o ano passado foram concedidos 1.245 vistos ‘gold’, dos quais 1.160 ARI (660,7 milhões de euros) mediante o critério de aquisição de bens imóveis. No que respeita ao requisito de compra de imóveis de valor igual ou superior a 500 mil euros, em 2019 foram atribuídos 946 vistos ‘dourados’, o que correspondeu à captação de 584,5 milhões de euros.

Portugal tem quase 100 mil unidades de alojamento local

Portugal fechou, no ano passado, com 91 638 unidades de alojamento local. Estes são os números inscritos no Registo Nacional de Alojamento Local (RNAL) e apontam para o aparecimento de 14 843 novos registos em 2019, o que representa uma quebra de 40% face ao ano anterior. Do total de registos de alojamento local, a maioria localiza-se no distrito de Faro (34036 estabelecimentos), seguindo-se os distritos de Lisboa (24753), Porto (11057), Leiria (4283), Setúbal (3634) e ilha da Madeira (3424). A maioria dos estabelecimentos está em apartamentos, com mais de 60 mil registos.

Estrangeiros a viver em Portugal ultrapassam os 500 mil pela primeira vez

Os estrangeiros a residir em Portugal ultrapassaram os 500 mil no ano passado, o que aconteceu “pela primeira vez na história” do país. Os dados preliminares levam a dizer que em 2019, pela primeira vez na nossa história, é ultrapassada a barreira do meio milhão de cidadãos estrangeiros a residir em Portugal. Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF) passou de 35 mil para 135 mil novas autorizações de residência, comparando 2015 a 2019.

Exportações na zona euro descem quatro mil milhões

A zona do euro registou superávit comercial de 19,2 mil milhões de euros em Novembro de 2019. Segundo as estimativas do Eurostat, as exportações de mercadorias da zona euro para o resto do mundo fora atingiram o valor de 197,7 mil milhões de euros, o que sugere uma desaceleração de 2,9% em relação a Novembro de 2018, quando o valor se situou nos 203,7 mil milhões de euros. O mesmo se verificou nas importações que acumularam 177,0 mil milhões de euros, um arrefecimento de 4,6% em comparação com o mesmo período (185,5 mil milhões de euros). Em suma, a zona euro registou 20,7 mil milhões de excedente no comércio de mercadorias com o resto do mundo.