Consumo. Bancos deram 600 milhões de euros em Julho

Este valor representa um aumento de quase 10% (mais 52 milhões de euros) quando comparado com igual período do ano passado. O crédito pessoal sem finalidade específica foi o que captou mais dinheiro: 227,7 milhões de euros. Na locação financeira ou ALD para carros novos, foram emprestados 33,2 milhões de euros e mais 8,4 milhões de euros para carros usados. Já na modalidade com reserva de propriedade e outros para carros novos, foram emprestados quase 68 milhões de euros e mais de 173 milhões de euros para automóveis usados. Apenas nos cartões de crédito se verificou uma diminuição na disponibilização de crédito. Foram 78 milhões de euros, em Julho, menos 10% quando comparado com os 86,6 milhões registados no período homólogo.

Salários em Portugal sobem abaixo da média da UE

Portugal é o quarto país da União Europeia (UE) onde os custos com o trabalho menos subiram. Entre Março e Junho deste ano, os encargos com vencimentos no País cresceram apenas 1,2% face ao mesmo período do ano anterior.  Atrás de Portugal, o Luxemburgo teve a menor subida da UE, com os custos por hora trabalhada a aumentarem 0,6%, seguindo-se a Espanha, com um acréscimo de 0,7% e a Holanda cresceu 0,9%. A comparação é sempre feita em termos homólogos. Os custos por hora trabalhada entre os 28 países da UE cresceram 2,2% no segundo trimestre, face ao período homólogo de 2017. No que toca à zona Euro, o acréscimo é de 2,6%.

Empresas devem subir salários até 3% em 2019

Depois de terem aumentado os salários entre 1,4% e 3,1% este ano, as empresas contam voltar a subir as remunerações dos seus trabalhadores em 2019. As expectativas médias de incremento salarial estão entre os 1,9% e os 3,1% para a maioria das funções. Ao mesmo tempo, são menos as empresas que pretendem congelar salários no próximo ano. A avaliação individual, o posicionamento na grelha salarial e os resultados da empresa é que determinam a atribuição de aumentos salariais. Também os salários dos recém-licenciados no primeiro emprego aumentaram 5% em 2018. 48% das empresas quer contratar mais trabalhadores em 2019, enquanto apenas 2% pretende diminuir o número de colaboradores.

Subsídio de desemprego vai aumentar em 2019

De acordo com dados da Segurança Social, existem neste momento em Portugal cerca de 168 mil beneficiários de subsídio de desemprego. Destes, 132 mil recebem o subsídio “principal” – ou seja, o valor mínimo. A manter-se a tendência actual de crescimento da economia, o subsídio de desemprego dos portugueses deverá ter um aumento entre os sete e os 17,5 euros mensais em 2019. Esta subida irá resultar da aplicação da fórmula de actualização do indexante de apoios sociais (IAS) – o indicador que serve de referência à actualização das pensões e de várias prestações sociais. O valor do subsídio de desemprego corresponde, regra geral, a 65% da remuneração líquida que a pessoa recebia enquanto estava a trabalhar.

Ryanair conclui compra dos 75% da companhia aérea LaudaMotion

A informação foi avançada pelo director executivo da LaudaMotion, numa conferência de imprensa com o presidente executivo da Ryanair. A LaudaMotion vai duplicar até 18 o número de aviões Airbus A320 na sua frota para o Verão do próximo ano, quando espera a entrega de nove aparelhos desse modelo. Com a compra da LaudaMotion, aprovada no mês passado pela Comissão Europeia, a Ryanair espera melhorar a competitividade e aumentar a oferta de voos económicos, nomeadamente na Alemanha, Áustria e Espanha.

Turismo em Portugal rendeu €15 mil milhões em 2017

Portugal obteve no ano passado 17,1 mil milhões de dólares (cerca de 15 mil milhões de euros) de receitas com o turismo, mais quatro mil milhões de dólares (3,4 mil milhões de euros) do que em 2016, segundo a Organização Mundial do Turismo (OMT). As receitas nacionais foram superiores às da Grécia (16,5 mil milhões de dólares), mas foram inferiores às da Turquia (22,4 mil milhões de dólares), Itália (44,2 mil milhões de dólares) e Espanha (67,9 mil milhões de dólares), colocando Portugal no quarto lugar da tabela das maiores receitas turísticas do sul da Europa. Mas no ranking das receitas em toda a Europa, França ocupa o segundo lugar, com 60,6 mil milhões de dólares, e o Reino Unido a terceira posição com 51,2 mil milhões.

Há mais famílias a não conseguir pagar os empréstimos ao consumo

Em Julho, o número de incumpridores atingiu 12% do total de devedores, subindo face aos 11,7% registados em Junho. Contudo, em termos homólogos verificou-se uma melhoria. Em Julho de 2017 este rácio estava nos 14%. Há um ano estava nos 10,9%. O crédito ao consumo do concedido pelo sector financeiro (que inclui, para além da banca, as sociedades de crédito, leasing e factoring) continua a aumentar. O stock acumulado no final de Julho subiu 144 milhões de euros face ao mês anterior. Em termos homólogos, o incremento ultrapassou 1,3 mil milhões de euros. O rácio de crédito vencido às empresas manteve-se nos 12,6% (igual a Junho), mas melhorando face a Julho de 2017, quando atingia 15%.

Estado cobrou até Julho mais 1,2 mil milhões em impostos

O Estado arrecadou 23526,4 milhões de euros em impostos até Julho, mais 1159,6 milhões de euros do que em igual período do ano passado. O aumento homólogo de 5,2% da receita fiscal é explicado sobretudo pelo acréscimo da receita dos impostos directos, sendo que todos os impostos cresceram, com excepção da Contribuição sobre o Sector Bancário, que caiu 7,8 milhões de euros. Os impostos directos aumentaram 7,1% até Julho, devido sobretudo à recuperação da receita de IRC, que subiu 15,6% (mais 532 milhões de euros) para 3,9 mil milhões de euros. Já a receita de IRS cresceu 2,4% para 5,7 mil milhões de euros. Também os impostos indirectos registaram um aumento de 3,8%, com destaque para a receita do IVA (mais 3,8%) e do Imposto do Selo (mais 6,9%).

Indústria automóvel enganou portugueses em 1,6 mil milhões de euros

Manipulação custou aos condutores europeus um extra de 149,6 mil milhões de euros nos últimos 18 anos. A indústria automóvel enganou os automobilistas portugueses em 1,6 mil milhões de euros desde 2000, manipulando o real consumo dos veículos, segundo um estudo da Federação Europeia de Transportes e Ambiente (T&E). Só no ano passado, por causa dessa manipulação, os portugueses gastaram mais 264 milhões de euros em combustível extra. Vista à escala europeia, a manipulação ascendeu a um gasto extra de 23,4 mil milhões de euros, quase tanto quanto os portugueses tinham gastado no ano anterior em alimentação.

Défice melhora 1,1 mil milhões de euros até Julho com receita a crescer 5%

Este desempenho decorre do facto da receita (5,3%) estar a crescer bem acima da despesa (2,5%). A melhoria do saldo global é explicada por um crescimento da receita (5,3%) superior ao aumento da despesa (2,5%). O défice orçamental fixou-se em 2,6 mil milhões de euros até Julho e o excedente primário (saldo orçamental excluindo o serviço da dívida) melhorou ainda mais, atingindo os 3,17 mil milhões de euros. O Estado está a gastar mais, mas menos do que orçamentou. A despesa pública cresceu 2,5%.