Défice externo agrava-se mesmo com turismo a crescer

Janeiro registou um aumento das receitas do turismo, que contabilizaram 851 milhões de euros, um crescimento de 8% face ao mesmo mês do ano passado. Apesar disso, o país continua a ver aumentar o seu défice externo e em Janeiro o saldo conjunto das balanças corrente e de capital foi negativo em 700 milhões de euros, um agravamento face aos 456 milhões de euros também negativos registados em Janeiro do ano passado. Em 2018 o saldo da balança corrente e de capital da economia portuguesa atingiu o peso no PIB mais baixo desde 2012, o primeiro ano em que houve excedente. A balança corrente e de capital, que traduz as contas externas da economia, desceu para 0,4% do PIB.

Grupo chinês vende participação na TAP por 49 milhões de euros

O conglomerado chinês HNA vendeu a participação de 9% que detinha na TAP através da Atlantic Gateway por 55 milhões de dólares (cerca de 48,6 milhões de euros). Mais de metade desta participação indirecta na TAP foi vendida à Global Aviation Ventures LLC, um fundo norte-americano de capital de risco especializado no sector da aviação, por 30 milhões de dólares. O restante passou para as mãos da transportadora aérea brasileira Azul S.A. em troca de 25 milhões de dólares.

Europa vai desviar mil voos diários para evitar saturação

A Europa vai desviar diariamente, no próximo Verão, cerca de mil voos que sobrevoariam Alemanha, Franca e outros países do continente, para evitar uma saturação naquele espaço aéreo como aconteceu em 2018. A informação foi avançada pela agência EFE. Após os problemas sofridos em 2018, “se não se fizer nada”, este Verão verificar-se-á um “quase colapso”, em termos técnicos, porque aqueles centros de controlo do tráfego aéreo vão ter menos capacidade do que no ano passado, devido a um novo aumento do tráfego e a um número insuficiente de controladores, diz a agência. Face a estes constrangimentos, Espanha irá assumir diariamente a gestão entre 150 a 160 desses voos.

Zonas ‘duty free’ agregam negócio de mais de 60 mil milhões

Não pagar impostos é a motivação de uma actividade comercial que já não é monopólio dos aeroportos e que deverá chegar aos 75 mil milhões em 2020. O negócio expandiu-se a ‘reboque’ da indústria do turismo – que se multiplicou exponencialmente com as companhias aéreas low cost – e é cada vez mais importante para uma vasta linha de sectores, nomeadamente no que tem a ver com as marcas de luxo. Em 2020, este negócio específico deverá atingir aos 75 mil milhões de euros, e o seu espectro não deverá sofrer grandes alterações: a moda, acessórios e a perfumaria continuarão a agregar quase 50% dos gastos dos viajantes, para, logo a seguir, surgirem as bebidas alcoólicas (16,7%), o tabaco (10,9%), artigos de relojoaria e joalharia (8,3%), artesanato (7,3%) e artigos electroeletrónicos, brindes e outros itens (7%).

Jogo online ilegal

O jogo online ilegal em Portugal vale 60% do mercado legal. Ou seja, há um negócio com receitas de cerca de 90 milhões de euros por ano que não paga impostos nem é controlado pelo Serviço de Regulação e Inspecção de Jogos. Isto contribui para a fraca expansão legal deste tipo de apostas. Neste momento existem 15 autorizações para a exploração do jogo online, nas vertentes de jogos de fortuna e azar e de apostas desportivas à cota (respectivamente 8 e 7). O jogo online e o facto de haver impostos muito elevados, faz com que este mercado – que foi regulamentado em Portugal em 2015 – esteja parado.

Algarve aprova redução de 50% no custo dos passes de transportes públicos

A Comunidade Intermunicipal do Algarve (AMAL) aprovou a redução em 50% do custo dos passes de transportes públicos algarvios, medida que será aplicada no mais tardar a partir de Maio. Esta redução, válida para autocarros e comboios, é conseguida através de verbas do Fundo Ambiental que, no caso da AMAL, representam este ano aproximadamente um milhão de euros, o que corresponde a 97,5% do montante global, sendo os restantes 2,5% provenientes dos municípios. O objectivo é que utilizem esta verba para criar soluções que alterem “padrões de mobilidade da população, com vista à redução de emissões nos transportes”. As compensações financeiras do PART estão disponíveis em 01 de Abril. As 21 CIM vão receber um total de 23,2 milhões do PART e cada uma delas vai contribuir com 2,5% da verba que lhes for transferida pelo Estado.

Redução do IVA da Restauração gera mais emprego e aumento na remuneração

No segundo semestre de 2017, o emprego no sector da restauração aumentou 9,9% em termos homólogos (+21,6 mil empregos), alcançando as 240,2 mil pessoas e superando o crescimento global do emprego (+5,1%). No entanto, apesar da descida do IVA os preços da restauração e similares subiram. A redução da taxa do IVA no sector do alojamento, restauração e similares gerou um aumento do emprego, da remuneração dos trabalhadores e nas contribuições para a Segurança Social no segundo semestre de 2017, de acordo com o relatório final divulgado pelo Ministério do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social.

Flybmi declara falência e cancela voos

A Flybmi conta com cerca de 400 empregados – no Reino Unido, Alemanha, Suécia e Bélgica – 17 aviões e voava para 25 destinos europeus, tendo a sua base no aeroporto de East Midlands. A companhia aérea regional britânica Flybmi cancelou todos os voos por ter entrado em falência face a várias “dificuldades”. Entre elas, segundo a empresa, está subida dos preços dos combustíveis e as incertezas criadas pelo Brexit.”

Airbus A380: o gigante dos ares tem os dias contados

O grupo europeu Airbus anunciou que vai deixar de fabricar o avião A380 em 2021, depois do seu principal cliente, a Emirates, ter alterado parte da sua encomenda pelos modelos A330-900 e A350-900. A Emirates, que, de acordo com as encomendas até agora, deveria ter recebido um total de 162 aviões A380, vai comprar apenas 123, tendo assinado um novo contrato com a Airbus para adquirir 40 aparelhos A330-900 e 30 do modelo A350-900. Mais do que um avião eficiente, o A380 foi usado pelas companhias aéreas como uma ferramenta de marketing. A peculiaridade de um avião com dois andares completos e recheado de luxos faziam com que alguns passageiros optassem por comprar bilhetes nas ligações que sabiam ser feitas com este tipo de aeronave.

Reservas online são preponderantes para o turismo nacional

Desde websites de hotéis até novos canais de reservas terceiros, a diversidade da lista deste ano reflecte o aumento das escolhas do consumidor. Este novo panorama está a forçar os hotéis a competirem pelo negócio através dos canais de reserva como nunca se assistira até então. As vendas on-line dos hotéis a nível mundial ultrapassaram os 231 mil milhões de euros, o que representa mais de 170% de crescimento na última década, e dos quais 13% ocorreram só no ano passado. Os 12 principais canais de reservas em 2018 foram, por esta ordem: Booking.com; Expedia; Hotelbeds (GTA mais Tourico); websites de hotéis (reservas diretas); OTS Globe; Abreu Online; Sistemas de distribuição global (GDS); NT Incoming; Portimar; Traveltool; HRS – Hotel Reservation Service; e Jet2holidays.